Vale do Ave e Terras de Basto
Abertura
Mapa do Concelho
Mapa da Cidade
Património
Museus
Contatos
Abação (São Tomé)
Airão São João
Airão Santa Maria
Aldão
Arosa
Atães
Azurém
Balazar
Barco
Briteiros Salvador
Briteiros Santa Leocádia
Briteiros Santo Estêvão
Brito
Caldelas (Caldas das Taipas)
Calvos
Candoso São Martinho
Candoso Santiago
Castelões
Conde
Corvite
Costa
Creixomil
Donim
Fermentões
Figueiredo
Gandarela
Gémeos
Gominhães
Gonça
Gondar
Gondomar
Guardizela
Infantas
Leitões
Longos
Lordelo
Mascotelos
Mesão Frio
Moreira de Cónegos
Nespereira
Oleiros
Oliveira do Castelo
Pencelo
Pinheiro
Polvoreira
Prazins Santa Eufémia
Prazins Santo Tirso
Rendufe
Ronfe
Sande São Clemente
Sande São Lourenço
Sande São Martinho
Sande Vila Nova
São Faustino
São Paio
São Sebastião
São Torcato
Selho São Cristóvão
Selho São Jorge (Pevidém)
Selho S. Lourenço
Serzedelo
Serzedo
Silvares
Souto São Salvador
Souto Santa Maria
Tabuadelo
Urgezes
Vermil
Início Região Concelhos Património Lazer Tradição Onde Comer Onde Dormir
 
PONTE
 
Memória Descritiva dos Símbolos Heráldicos
Fonte heráldica - É justificada pela existência de pelo menos, 15 fontes.
Enxada - A agricultura foi a principal fonte de riqueza da população de Ponte, nos tempos mais antigos, com destaque para o cultivo do milho.
Roda dentada - Caracteriza a indústria que marca, de algumas décadas a esta parte, a principal actividade económica da freguesia de Ponte.
Ponte e burelas ondadas – Representam a ponte (Romana) sobre o rio Ave. Assim como, a existência de três estruturas pétreas na freguesia servem também para justificar a sua designação.
 
Caracterização
A freguesia de Ponte é hoje uma das vilas mais emblemáticas do Concelho de Guimarães, situando-se a 5 quilómetros do seu município, geograficamente no norte central do concelho. Percorrendo o rio Ave pela margem esquerda, a Vila de Ponte é vizinha das também vilas de Brito e Caldas das Taipas, constituindo-se como uma das maiores e mais extensas freguesias do concelho, sendo também uma das mais povoadas – quase 7000 habitantes. O seu crescimento económico tem sido proporcionalmente elevado nos últimos anos, originando a construção do Parque Industrial do Miogo, que é hoje um porta-estandarte da localidade. Este foi também, em 1995, um dos motivadores da elevação da freguesia a vila. O sector industrial, em especial a indústria de têxteis, é a maior força económica da vila. Uma visita a Ponte culmina com a atractiva possibilidade de explorar os trilhos montanhosos do Vale do Ave, realizando percursos pedestres.
 
Síntese Histórica
A designação toponímica desta terra não é estranha, uma vez que Ponte tem um significado facilmente reconhecido, cuja origem deste título nasce de uma estrutura pétrea erguida sobre o rio Ave, provavelmente romana. Esta "ponte petrina", próxima do extinto cenóbio de S. João Baptista, é referenciada em 1059, numa doação de Ramiro II ao mosteiro vimaranense, fundado pela Condessa Mumadona. A origem da própria freguesia é ainda mais antiga, existindo escritos de Abril de 911, cujo documento faz menção à ‘villa’ e ‘ecclesia’ de “Sancti Johannis in ripa de Ave”. Pertencendo sempre ao termo de Guimarães, Ponte foi propriedade de D. Pedro Alvites, em finais do século XII. Ferreira de Almeida, célebre protestante, aponta para a existência de "restos de arquitectura pré-românica e/ou visigótica" em S. João de Ponte, indicando que restos de cerâmica comum ou de construção, assim como um pequeno "cossoiro", surgiram no lugar do Passal.
 
Património Cultural Imóvel
Igreja Paroquial, Ponte do Rio Ave (Monumento Nacional), Capelas (Sr. dos Aflitos e São José – Campelos), Cruzeiro, Alminhas de Campelos e Quinta da Ribeira.
 
Locais de Interesse Turístico
2 Parques de Lazer
Ponte do Rio Ave (Monumento Nacional)
 
Filhos Ilustres da Terra
Manuel Gonçalves – Comendador e Industrial (1914-1998)
Monsenhor D. Américo Couto Oliveira – Bispo de Lamego (1929-1998)
Carvalho Ribeiro – Médico (1898-1959)
Manuel Barbosa Mattos Chaves – Benemérito (1911-2002)
Francisco Soares – Fundador do Escutismo em Ponte e Chefe CNE (1910-2005)
 
Artesanato
Reciclagem materiais, pintura e escultura (Emília Pinheiro “Milita”- 914 844 297)
Bijuteria (Maria do Rosário Sousa - 962 887 389)
 
Padroeiro
São João
 
Festividades
São João (24 de Junho)
Nossa Senhora do Rosário (Maio)
Festa do Santíssimo Sacramento (1º fim de semana de Junho)
Senhor dos Aflitos (Setembro)
 
Freguesia em Números
Área (i): 601,1ha
Abastecimento de Água - Rede Pública (ii): 95%
Saneamento Básico (ii): 95%
Iluminação Pública (ii): 99%
Transportes (ii): Arriva e TUG.
Habitantes (iii): 6610 (H-3223 M-3387) 
Eleitores (iv): 5608 (H-2755 M-2853)
Alojamento (iii): 2758                           
Famílias (iii): 2218
Faixas Etárias (iii): 0/14-1207 15/24-829 25/64-3902 65 ou mais-672
Habilitações (iii): Nenhuma-1189 Básico-4159 Secundário-857 Superior-405
[Fontes: i. Câmara Municipal Guimarães; ii. Junta Freguesia; iii. INE Censos 2011; iv. DGAI]
 
Equipamento e Serviço Social
Sede da Junta de Freguesia, Jardim de Infância e Escola Básica do 1º Ciclo (Centro Escolar), Escola Básica 2/3, Cantina Escolar, Campo de Futebol, Polidesportivo, Gimnodesportivo, Unidade de Saúde Familiar, Salão Paroquial, Capela Mortuária e Apoio Domiciliário (Centro Social, Recreativo e Cultural de Campelos).
 
Serviços
Posto de Abastecimento de Combustíveis, Farmácia, Clínica, Consultório Médico, Laboratório de Análises Clínicas, CTT, Banco, Multibanco, Turismo Rural e Espaço para Eventos.
 
Movimento Associativo
ARCAP - Academia Recreativa e Cultural “Amigos de Ponte”
Fundação: 2001    
Actividades: BTT, judo, teatro e grupo de música popular.
Capella Jubilemus de Ponte
Telefone: 253 473 734    
Fundação: 2011    
Actividades: Cântico litúrgico
Centro Popular dos Trabalhadores de Ponte
Telefone: 965 529 491    
Fundação: 1986    
Actividades: Pesca
Centro Social, Recreativo e Cultural de Campelos
Telefone: 253 575 730    
Fundação: 1976
Actividades: Futsal, centro de dia, apoio domiciliário, teatro e grupo coral.
Clube Desportivo de Ponte
Telefone: 253 578 322    
Fundação: 1957    
Actividades: Futebol
Clube Operário de Campelos
Telefone: 919 420 767
Fundação: 1953    
Actividades: Futebol
Surgida a ideia de criar um clube no lugar de Campelos, foi em 1 de Março de 1953, numa dependência da antiga Fábrica de Fiação e Tecidos de Guimarães (popularmente conhecida como Fábrica de Campelos) que este clube começou a ganhar forma. Começou por se apelidar de Académico Sanjoanense, nome que foi posteriormente alterado para Clube Operário de Campelos, numa clara alusão ao grupo populacional de operários que aquele lugar albergava. Ao longo dos anos passou por muitas mudanças, nomeadamente a nível de infra-estruturas, mas existem valores que se mantêm até aos dias de hoje, como a paixão, o fervor, a humildade e a amizade que une todos aqueles que trabalham em prol da dignificação do nome do Clube Operário de Campelos. Recentemente foi distinguido com a medalha de Mérito Desportivo atribuída pelo município vimaranense. Volvidos 59 anos de quase ininterrupta actividade, o Clube Operário de Campelos continua a cumprir os objectivos iniciais da sua criação: a promoção da prática desportiva, do convívio entre a população e do engrandecimento do nome do lugar de Campelos.
Corpo Nacional de Escutas – Agrupamento Nº 624
Telefone: 934 172 420    
Fundação:1937
Actividades: Escutismo
Grupo Coral Litúrgico de Campelos
Telefone: 253 576 354    
Fundação: 1937
Actividades: Cântico litúrgico
Grupo Coral de Ponte
Telefone: 968 817 878    
Fundação: 1977
Actividades: Cântico litúrgico
Mini Coral
Telefone: 936 396 825    
Fundação: 1982
Actividades: Cântico litúrgico
 
Pároco
António da Silva Lopes    
Telefone: 253 473 734
 
Junta de Freguesia
Morada: Largo da Igreja, nº 472   4805-267 Ponte
Coordenadas GPS: N 41º 28’16.29’’ / W 8º 20’17.27’’
Telefone: 253 473 080     Fax: 253 570 015
E-mail: jf.ponte.gmr@mail.telepac.pt
Site: www.jfponte.pt
Horário de Funcionamento: 2ª a 6ª feira 09h00-12h00/13h30-17h00; 3ª, 4ª e 6ª feira 18h30-20h00
Presidente: Manuel de Freitas Lopes (3º mandato)
Secretária: Marta Sofia das Neves Ribeiro Cunha
Tesoureiro: António José Pereira Leite
 
Destaque
Parque da Ínsua
O Parque da Ínsua, em plena freguesia de Ponte, foi inaugurado em 2008 e apenas um ano depois, em 2009, arrecadou o Prémio Nacional de Arquitectura Paisagística, na categoria de Espaços Públicos Urbanos. Este parque, projectado pela arquitecta Rita Salgado, representa uma bela ligação entre a urbanidade que ali se vive e a margem do rio Ave. Antes da sua existência, este local estava praticamente abandonado e muito deteriorado, o que faz com que a construção deste espaço verde muito atractivo tenha sido uma espécie de “lufada de ar fresco” na freguesia e áreas periféricas. O objectivo da construção deste parque foi também no sentido de aumentar e fortalecer a quantidade e qualidade de espaços verdes colectivos de recreação e lazer ao longo do Rio Ave. Nesse aspecto, o concelho e o rio Ave puderam assistir a um aumento de espaço verde com 4,3 hectares, surgindo muito próximo e quase que em continuação dos parques de lazer de Caldelas e um outro já existente em Ponte. No seu plano de arquitectura e execução, foi muito importante o seu enquadramento e protecção, uma vez que, além da sua adjacência ao rio Ave, é composto por um ecossistema sensível e susceptível de impacto ambiental. No Parque de Lazer da Ínsua foi ainda instalado um parque infantil e de actividades, abrangendo todas as idades, com elementos de diversão e lazer adequados. Está também equipado a rigor com todas as condições de utilização para fazer actividade física, nomeadamente a prática de caminhadas, contendo mobiliário urbano de conforto e iluminação pública. O projecto prevê ainda a construção de uma pequena mini-hídrica no açude existente no Rio Ave. Este inovador sistema permitirá a reutilização, reconversão, e recuperação das infra-estruturas existentes no local, nomeadamente o açude e o moinho em ruínas, podendo-se, assim, aproveitar a força da água para produzir energia eléctrica. A recuperação da ruína do antigo moinho será uma realidade, na qual será instalada a turbina e o gerador. Este aproveitamento hidroeléctrico enquadra-se na política de implementação de energias renováveis. A Estrada Nacional 101, que passa ali muito perto, é um ponto de vantagem para o parque, que o torna geograficamente muito bem localizado.
 
 
Receba
as novidades
no seu e-mail
nome:
e-mail:
Vale do Minho Vale do Lima Vale do Cávado Vale do Ave e Terras de Basto
Contactos | Mapa do site
Copyright © 2008 A Nossa Terra. Todos os Direitos Reservados Desenvolvido por: Direnor